11.01.2011

reducionismo


















se ser feliz é uma arte
ser feliz é ser-se outro que não o próprio
mas sendo o mais fiel a ele mesmo
na renuncia da pertença ao que lhe pertence
e não lhe pertencendo absolutamente nada,
nem a sua própria felicidade.

pela estatística bebe em média três copos entre amigos
de vinhos e outras bebidas de estranhos odores
mas como o que faz não é para seu proveito,
sabe-se que não bebeu nem um copo
mas divide a conta com contentamento
porque sente-se bem com o seu sustento.

embora não a reconheça,
nem esteja convencido da sua existência,
a sua felicidade não é dele embora lhe pertença
e nenhum dinheiro a pode comprar,
assim só pode ser feliz por não se achar infeliz
e ser verdadeiro consigo próprio.

Sem comentários: