4.26.2011

Palavras



























Há palavras que nos beijam em suspiros
Como silêncios que nos calam firmes,
A verdade é que ambos nos matam
Comprimindo o corpo num feixe de vimes.

Outras vezes são só palavras
Que extinguem os silêncios da vida,
Os dias passam sem terem outra cor
E descobre-se uma honestidade suicida.

Há silêncios que nos beijam como lâminas
Se cada palavra é proferida como punhal,
Se respondes sempre para não ficar mal
Pedes sedento um peito aberto em chamas.

Só quem cala consente, pede mais.
Eu falo porque rejeito da dor o tormento
E dos outros não me comovem os seus ais,
O que arde em mim é ataraxia do fingimento.

Por isso não temas, o mar e as suas certezas
Que os beijos salgados no silêncio das palavras
Alimentam e extinguem-se em finas chamas raras
De alguém náufrago de si nos sonhos que desprezas.

6 comentários:

Anónimo disse...

:')

- m a f a l d a f e r n a n d e s ♥ disse...

estive a ler alguns textos teus e gostei, estou a seguir :)

Cirisley Steinberg disse...

HÁ PALAVRAS QUE NOS BEIJAM E NOS DEIXAM EMUDECIDOS... CURTI

LEMBREI DO ALEXANDRE O'NEILL

Pandora disse...

Ás vezes tocas-me lá no fundo da ferida como um alfinete. Não sei se é bom ou mau, nem sei mesmo se o sabes :) ou quem sabe??...

Cirisley Steinberg disse...

uai meu coments sumiu mesmo, nossa curti PALAVRAS, e O'neil é sucesso.

tu ta de parabens

Rita Carvalho disse...

Gustav Klimt ♥
também te vou seguir ;)