3.09.2011

Arremesso





























Amizade, família e amor
São dívidas que contraímos na partilha de vivências
Entre esperança, glória e alguma dor,
Por vezes.

Tanto é o que me oferecem,
Sempre tão escasso o que dou...
Transformo-me assim num arrependido,
Num eterno devedor.

Na grandeza feia do gesto
Acredito sempre de mais e de boa fé
E defendo-me para lá do grande cabo lesto,
Onde batem os ventos mas não sinto os tormentos.

Fortaleço este instinto
De resistir como um Adamastor
Às partidas, aos barcos, ao sal e à maresia,
Aqui só posso ser um fingidor.

Não passo de uma frase feita
Se é lá fora que a vida se faz,
Onde não acredito em nada
E costuro os meus próprios remendos.

1 comentário:

S.Ribeiro disse...

'Não passo de uma frase feita
E a minha vida é feita lá fora,
Onde não acredito em nada
E costuro os meus próprios remendos.'

Poesia é compartilhamento.

Abraços