3.27.2011

Capitular

























Nunca são as promessas do café matinal que aumentam a libido,
É certamente o deleite do açúcar que o abranda e acompanha,
O fumo quente que o aconchega, a húmida névoa da manhã.

Os prazeres são fracos quando feitos verdadeiramente sem malícia,
São desvarios que transformam explícitos desejos vulgares
Em coisas tamanhas sem uma necessária lógica exigente
Sobre estandartes de guerra ou bandeiras brancas.

Nem só na aurora os sonhos tocam no mundo real,
Nem mais que um dia duram as nuvens na travessia do deserto,
E para voar? O mais importante é aprender a inspirar e a expirar...
Não basta apenas saber abrir bem as asas, assim vence sempre o cansaço.

A forma de discurso directa nem sempre é a mais certa,
Bem como complicar a vida é consequência de querer torná-la simples
Mas para agir bem o melhor é evitar pensar porque a sanidade das horas é inútil,
Nunca se pode esperar fazer grande coisa com ela, julgando o seu todo ou apenas parte.


1 comentário:

Rita Graça disse...

I really like this one. Thumbs up!