12.13.2010

Os Poemas




























Os poemas não se dobram como as camisas,
não se lavam, nem se passam a ferro.

Os poemas não são um erro,
são vários, diversos, expandidos.

Os poemas não fazem mal,
muitas vezes são mesmo precisos.

Os poemas são o que fica por dizer,
não a escravatura dos versos.

Os poemas não se engraxam,
não têm uso numa só estação.

Os poemas são ruidosos quando se acham,
são réus silenciosos da opinião vigente.

Os poemas não são dignos de desleixo,
têm a cor da palavras numa transfiguração exigente.

Os poemas não são passado ou futuro,
nem como se sente o presente.

Os poemas são apenas poemas,
palavras de alívio no conforto dos tormentos.

3 comentários: