11.08.2010

«Efémeras»






















1 Mudou do dia para a noite.
Foi uma mudança indesejada. De dia estava vivo e à noite estava morto.
2 Mudou de carro. Mudou de nome. Mudou de aspecto. Mudou de profissão.
Mudou de residência. Nunca ninguém conseguiu perceber porquê. Nem ele.
3 Num momento estava vivo e noutro já estava morto.
Nem teve tempo de pensar que a vida é como um interruptor, apagou-se de repente.
4 Matou-se lentamente, muito lentamente, por isso, quando estava quase a chegar ao fim,
teve que voltar ao início e matar-se de novo. Era um perfeccionista.
5 A morte apanhou-o descalço, completamente desprevenido, mas uma coisa é certa,
estivesse ele com calçado ligeiro e também não teria conseguido fugir dela.
6 A Morte encontrou-o vivo. Por pouco tempo.

Sem comentários: