5.03.2010

Palavras e Imagens


























Sabes que cada imagem
Vale mais do que mil palavras,
Mas quantas imagens ao certo são precisas
Para descrever a intensidade
De uma só palavra ao pormenor?

Reconheces este quadro,
Lês-te a biografia do autor
E de todas as especulações rigorosas,
Por mais claro que seja o seu significado,
Nunca conheceste o pintor.

Muitas palavras são gastas
Quando se procura traduzir a essência de uma obra.
Aprende-se a utilizar a visão e o quadro torna-se branco,
Surge repleto de intersecções e apresenta-se como uma pintura.
Como pode um cego tomar consciência das suas feições
Sem ser recorrente uma necessária alusão às palavras?


1 comentário:

rafael Costa disse...

Como Kandinsky nos propõe, a máquina de escrever não pode ser desvinculada da pintura, mas para toda regra há sua exceção e o primeiro sentimento antes de darmos corpos a ele por meio de palavras é aquela sensação de empatia; àquele sentimento de se gostar sem saber o porquê.

Abraço,

Rafa