5.20.2010

Escriba



Se fosse poeta
Pintava a escrever
E as minhas palavras
Soavam a música
Numa melodia celestial.
Mas não sou poeta
E o que escrevo
Não está mal
Nem errado,
Mas a sua verdade
Tem outra cor...
É a marca do sonho
É o espelho doutra dor.
Não é como se pensa,
Mas é assim que tem que ser.
Esta minha crença
É a esperança de vencer.


[2004]

Sem comentários: