5.28.2010

Anseios da vida*




"Quem é que manda no que é meu?
É a gramática, ou sou eu?"
(Gomes Leal)

Não quero ser poeta
se desgraça é o meu destino,
apenas necessito de escrever
com rasgos curvos da caneta
o meu verso libertino.

Desorientado e sozinho
pela sensibilidade emancipada,
não quero ser profeta
se uma minha estrada deserta
por mim não for traçada.



*(Anúncios)

Sem comentários: