1.24.2010

Estigma Ficcionista


Se eu escrevesse como não imagino
parecia um daqueles escrivães agradáveis,
graciosos no grafar da escrita,
nos arcos das consoantes,
na distropia das letras.
Em trópicos quentes procuro a seriedade
sem o rigor subversivo dos trajes,
velam-se estigmas ficcionistas.
Trabalho a bem do progresso,
reponho parábolas por afinidade,
alimentos que não servem a ninguém
e por isso ofereço-os ao papel.
Se pudesse não recorrer à tinta,
usaria-a no mesmo arranjo
por tamanha simpatia às calamidades.

Sem comentários: