12.03.2009

Ideias e Engenho

Falta-me tempo

Para entreter o tempo,

Encavalitando palavras

Sem duvidar do seu argumento

Mas falta-me tempo

Até para me entreter a mim…

Uso o tempo que me resta

E gasto-o assim,

Arquitectando no invisível

Das ideias do meu engenho

As horas onde vivi.

Se me apresento confuso

É esse o meu empenho

Foi aquilo que eu previ...

Um algo assim declinante,

Tão feliz enquanto sou diferente

Em cada voo mais alto da andorinha,

No paradoxo articulado da indefinição.

Sem comentários: