12.23.2009

Espontaneidades*



Não abdiques da eternidade
Se ela te aprouver,
Dá valor à tua vida
Se o destino assim quiser.

Se te sentes capaz de algo,
O destino é a tua vontade.
Usa o sonho como estandarte,
Segue-o por toda a parte.

E quando encontrares por aí
Homens que se sentenciam profetas...
Não os ouças, não falam de um deus qualquer,
Descrevem-se apenas poetas.


*[Reflexos (in)transitivos do Verbo]

Sem comentários: