12.03.2009

Ao Próprio



Que mais posso ser,
Se não eu,
Para ser eu próprio?

Quem mais próprio
Para o ser,
Do que o não-eu?

Quem mais sou,
Que o não próprio,
Para o não ser?


Quem mais seja,
Para ser eu próprio,
Quando sou eu?

Que mais sou eu,
Sem ser impróprio,
Sendo próprio o que quer que seja?

Quem pode ser impróprio,
Só quando não é,
Para que nunca o seja?


Que posso ser eu
Demais para que seja,
Sem nunca o ser?

Quem devo ser para que seja,
Sem ser outro, mais próprio
Do que eu?

Quem sou,
Que me desconheço próprio,
Apenas para o ser?

3 comentários:

nina rizzi disse...

João (lindo nome),

que surpresa maravilhosa acabar aqui: os textos, o layout lá em cima, o título, nossa, que maravilha!

vou a te seguir. sim, veja isto:
http://ellenismos.blogspot.com/2009/07/opus.html

um beijo.

Leto of the Crows disse...

Um óptimo exercício para a minha mente, depois de ter estado a estudar Bioestatística xD

mdsol disse...

Olá João

Por cá voltarei para o ler com muito prazer.
:))