6.17.2009

Iluminados

Ombros perfeitos, iluminados,

Descrevem os teus cabelos

Em recortes de enfeites ondulados,

De timbres perfumados

E outros tons estrelados.


Cabelos soltos, bem despertos,

Que dançam como o luar,

Num passo tão firme,

Num eterno balançar,

Sem artifícios ou ilusões

De um claro sublime encanto.


Gestos delicados, conscientes,

Feitos para fazerem sonhar

Sem enigmas, sem enganos,

Feitos para não duvidar,

São os desígnios dos tempos.


Olhares prometidos, atentos,

Ao futuro que nos desconhece,

Que no passado perdi as mágoas

No presente só me encontro em ti

E que de todo o resto nada cesse

Os sorrisos que a vida oferece.


Palavras escritas, outros silêncios,

Que pacificam o céu de cor,

Que falam sem se mostrar

E que nunca deixam de acertar

Os compassos das emoções.

Sem comentários: