6.23.2009

Espelho



Adoro a maneira

Como te olhas no espelho,

Adoro o modo e o jeito

Como arranjas o cabelo.


Adoro as suas formas,

Os seus feitios e as suas cores…

Desconheço o que te move

Se desconheço os teus sabores.


Gosto da maneira

Como já não falas para mim.

Gosto do modo

Como utilizas as palavras,

Raramente usadas,

Porque me tratas assim.


Adoro tudo em ti…

As formas, os feitios e as cores.

Poderia inventar-te

Mas não renuncio às dores

Que dão ânimo aos corações.



……………………………………………

…………………………………………...





(in "Lamentos de um Espelho"; 1º andamento - Espelho ustório)

3 comentários:

Joli disse...

Gostava de saber o que te dá tanta inspiração para escrever poemas tão bonitos ^^

João Afonso Adamastor disse...

Lol... talvez a vida, a minha e principalmente as dos outros, o resto é somente delírio.



:D

Leto of the Crows disse...

Simplesmente, lindo. Nem mais, nem menos. Ou, muito provavelmente, poderá ser mais ^^