4.27.2009

A tua floresta

A tua floresta delimita a expansão
Dos campos verdes da minha imaginação,
Que tropeçam na névoa oculta das tuas raízes,
Nos mesmos raios de luz que te atravessam.
Ofuscantemente envergonhados, os homens,
Incapazes de te afrontarem durante séculos
Com receio de caírem fatalmente
Nos pecados dos meus caminhos,
Criaram ameias nas tuas penhas
E por elas, sem descarto, uma e outra vez,
Procuraram subjugar um jubiloso destino
Manchando os campos de sangue inimigo
Em trilhos longos e perdidos em mim,
Embrenhando-se de novo no teu espírito liberto
Em busca da rendição de Géia...
Correndo nus e destemidos,
Entre a verdura dos meus passos
E os segredos da tua floresta.

2 comentários:

Leto of the Crows disse...

Lindo ^^

Joli disse...

Tão tão lindo... O meu favorito*