4.30.2009

Negra Imensidão

Ao princípio a dúvida,
Seguindo a incerteza...
Vejo sempre a indecisão
Concluir-se sem clareza.
Se procuro no fundo
Uma verdadeira questão,
Deparo-me com o branco
E as curvas da interrogação.
Que nada se explica
Sem pouco se entender
E por muito que se diga
Mesmo assim há coisas
Que eu não consigo ver.

Sem comentários: