4.13.2009

Moralização*

Gostava de escrever coisas alegres,
Mas há certos (tristes) dias
Em que os dias alegres
São todos os (outros) dias.

Não sei o que errei...
Que errei é certo,
Como é certo que o erro
Se fui eu que o despertei
É simplesmente meu.

Para quê partilhar
O que nem para nós queremos?
Que se manifeste guardado
Na forma que melhor sabemos.
*(do erro ou da desculpa)

1 comentário:

xumé disse...

Há dias assim... Demasiados até!, (um seria suficiente) e que demoram uma eternidade a passar.

Mas o que é certo é que passam, e feliz ou infelizmente depressa nos esquecemos deles. =)