4.13.2009

Esquecimento

Fugiram as palavras
Em que me encontrava suspenso,
Como recortes de jornal
Apaziguadamente dispersos ao vento.

Julgava ser imprescindível
Comprovar o seu valor,
Na vontade como espero
Que a mim possam regressar
Em total indefinição.

Nas manhãs em que despertarem
Novas formas vigorosas,
Não temerei o último
Frágil e angustiante olhar
Que se abate perante mim
E mais uma folha vazia...
Descrevendo em formas rigorosas
O esquecimento obliterante.

Sem comentários: