3.10.2009

Outras Mensagens

Quem não gostaria de ser muitos,
Como muitos, os outros…
Mas muitos haveriam
De encontrar nos outros
O que eu hoje não sou…
Sei que sou um.
Não me perdi nas entrelinhas,
Fingindo no meu fingimento
Se o poético ultrapassar
A intelectualização das impressões.
Apelo à suprema imaginação
Para que torne reais
As minhas impressivas criações.


O meu código é outro
As minhas mensagem são outras
E sou único nas minhas personagens
Mas o mestre é outro,
Certamente não sou eu.


Sou a profecia do posfácio
De outro alguém, não eu,
Mas insisto na sua agonia.
Mais vago, intermitente,
Que segue o seu mestre
E não o criador em si…
Eu sou como o mestre,
Interpreto com os sentidos.
Mas reivindico a sua realidade imediata
E arquitecto a velocidade impetuosa
Dos desígnios da intensidade do tempo
Alegando exaltações ao pensamento.
O meu mestre é outro,
O profeta, não o seu mestre.


Sou o absurdo do mestre,
Conheço bem este fingir.
Aceito a matemática do mundo
E com a ilusão da lucidez
Confiro outras mensagens
Ao subtil mistério do existir…
Julgando ser só - a personagem.


___________________________________________________________________
Palavras do Mestre:

"Um poema é a projecção de uma ideia em palavras através da emoção. A emoção não é a base da poesia: é tão-somente o meio de que a ideia se serve para se reduzir a palavras."

"A única realidade da vida é a sensação. A única realidade em arte é a consciência da sensação."

"Interpretar é não saber explicar; explicar é não ter compreendido."

"O Essencial da arte é exprimir; o que se exprime não interessa."

3 comentários:

Joli disse...

Lindo mesmo *.*

xumé disse...

Mestre o//
Adoro Pessoa...

Sofia disse...

Pessoa, um grande poeta, senão mesmo o maior de todos