3.28.2009

Despedida

O comboio parte, o teu olhar
Despede-se pela janela
Como se esperasse
Pela ausência de palavras
Para me falar da verdade.
Partes só,
Quanto tempo irá passar
Até regressares de novo…
Será que chegaste a partir,
Tudo me diz que estiveste cá,
Julgava conhecer-te bem…
Mas agora certezas não as há.

1 comentário:

Sofia disse...

Poema lindissímo. Também eu já tive uma despedida assim... Questionei-me o mesmo "Quanto tempo demorará?"... Quem sabe...